Fita de Moebius

humanismo – política – sci-fi – software livre – achismos

Jogo do Poder 2015

Posted by Márcio Gonçalves em julho 19, 2015

cabo-de-guerra

O Brasil é lembrado frequentemente como a terra do Carnaval e do Futebol. Menos vezes, todavia, somos lembrados pela nossa desigualdade gigantesca.

O Brasil é um país de desigualdades, há muito tempo. O último país a abolir oficialmente a escravidão. Tem uma dívida social enorme. Falta educação pública  e saúde pública de qualidade. Falta moradia. O nível de emprego andou melhor, mas isso tá ameaçado agora. O latifúndio é fortíssimo no campo. Aqui não temos castas mas a mobilidade social é muito pequena.

O que a gente precisa mesmo são de grandes políticas populares e nacionais. Coisa boa pro povo. Tivemos poucos vislumbres disso ao redor das décadas republicanas. A norma era governar pra elite e pra no máximo uns 30% mais próximos do topo da pirâmide social. A prioridade era atender o que a “metrópole” precisava. (metrópole = EUA, Europa, o “1º mundo”). De repente, oriundo das fazendas gaúchas, apareceu um Getúlio Vargas implantando direitos trabalhistas, salário mínimo, Petrobrás.  Era pouco, mas mesmo assim ele sofre oposição feroz e se mata para não ser deposto. Também oriundo das fazendas  gaúchas veio João Goulart, que falava em nacionalismo e chagou a prometer reformas de base (agrária, inclusive). Era pouco, mas três semanas depois do comício das reformas de base foi deposto e se iniciou uma ditadura de 21 anos. Oriundo das fábricas do ABC veio Lula que iniciou um projeto de inclusão social pelo emprego e fortalecimento da indústria nacional. Sua sucessora Dilma Roussef, oriunda da classe média mineira e da luta armada dos anos 60, tentou ampliar o caminho aberto por Lula. É pouco, mas ainda assim sofrem oposição feroz e estão ameaçados de impeachment e prisão.

É irônico ver que as iniciativas do trabalhismo brasileiro sejam massacradas do jeito que estão sendo, quando na verdade correspondem a uma necessidade parcial das grandes massas. É irônico ver que todos os governos trabalhistas não rompem com as elites; pelo contrário, sempre mantém ou aumentam alguns privilégios da elite. E, ainda assim são atacados como se fossem sectários intolerantes dispostos a desapropriar tudo e matar toda a burguesia.

Aliás, como os governos trabalhistas também atendem parcialmente a agenda da direita, a extrema esquerda não vê nenhuma diferença entre eles e a direita. Faz críticas pesadas, joga contra,  não vê valor tático em dar algum tipo de apoio e acaba reforçando o jogo da direitona. Esta sim, vê bastante diferença entre si mesma e os trabalhistas.

Tudo que está acontecendo reforça o sentimento de que nossa elite é soberba e hostil com o nosso povo. Não basta ter ódio de pobre e da esquerda, tem que estigmatizar quem atende pelo menos uma parte da dívida social brasileira, mesmo que venha de camadas abastadas, como Vargas, Jango e Dilma. Ao mesmo tempo, nossa elite é deslumbrada e submissa ao estrangeiro, especificamente o “1º mundo” .”Vamos tirar a Petrobrás do pré-sal, deixar as estrangeiras entrar”, proclamam vendilhões velhacos do Senado. Justamente a única política nacional e popular que ainda está intocada no segundo mandato da Dilma. A única carta na manga que ainda resta pra economia brasileira e fonte futura de grana para saúde e educação. Felizmente tiraram esta lei da emergência de votação no senado, mas a ameaça ainda está aí.

Este é o jogo do poder 2015 no Brasil. Mais uma vez um governo trabalhista está sob ataque pesado, mais uma vez cumpre parcialmente uma agenda de direita prejudicial aos trabalhadores, mais uma vez a extrema esquerda acha que vai fazer a revolução (e alguns destes revolucionários tem tão pouca experiência de vida proletária ou de morar nas periferias…).

No momento a direita está no ataque. Ganhará? O que ganhará?

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: